Header Ads

Graus do Adjetivo



O adjetivo pode ser usado no grau comparativo ou superlativo.















Grau comparativo

Usamos o grau comparativo para comparar qualidades de dois sere ou de dois grupos de seres: Mário é mais forte do que João | Meus irmãos são mais fortes do que os seus.

O grau comparativo pode ser de superioridade, inferioridade ou igualdade:

Mário é mais alto do que Maurício [comparativo de superioridade]
Maurício é menos alto do que Mário [comparativo de inferioridade]
Marcelo é tão alto quanto Mário [comparativo de igualdade]

Obs.: Pode-se usar do que ou que. As duas formas são corretas: Maria é mais simpática do que sua irmã | Maria é mais simpática que sua irmã.

Atenção com estes adjetivos

Os adjetivos bom, mau, pequeno e grande possuem formas especiais no comparativo. Veja:

bom - melhor
mau - pior
grande - maior
pequeno - menor

Exemplos: Este livro é melhor que aquele | Seu time é pior que o meu | Sérgio é maior que Raul | Carlos é menor que Roberto.

Comparando qualidades num mesmo ser

O grau comparativo pode ocorrer também quando se faz o confronto entre características de um mesmo ser: Cláudia é tão elegante quanto simpática.

Essa frase, além de dizer que Cláudia tem duas características - ela é elegante e simpática -, diz ainda que nela essas duas qualidade são iguais. Mas poderíamos estabelecer diferenças entre essas qualidades. Veja:

Cláudia é mais elegante que simpática.
Cláudia é menos elegante que simpática.

Obs.: Nesse caso, e só nesse caso, se usarmos os adjetivos grande, pequeno, bom e mau, não devemos usar melhor, pior, maior e menor. Veja: Essa casa é mais grande do que pequena | Esse homem é mais bom do que mau.

Grau Superlativo

Usamos grau superlativo para expressar qualidades num grau máximo ou muito elevado: Essa montanha é muito alta | Essa montanha é altíssima | Essa montanha é a mais alta de todas.

O superlativo pode ser absoluto ou relativo.

É absoluto quando não faz comparações: Esse jogador é muito rápido | Esse jogador é rapidíssimo.

É relativo quando ocorre uma comparação com um grupo de seres: Esse jogador é o mais rápido do time [superlativo relativo de superioridade] | Esse jogador é o menos rápido do time [superlativo relativo de inferioridade]. Observe que no superlativo relativo sempre usamos as formas o mais, o menos.

Formação do superlativo absoluto

Quando o adjetivo é acompanhado de uma palavra intensificadora [geralmente um advérbio], dizemos que o grau superlativo absoluto é analítico: Essa questão é extremamente difícil | A cidade está muito poluída.

Quando juntamos ao adjetivo os sufixos -íssimo (o mais comum), -imo ou -érrimo, formamos o grau superlativo absoluto sintético: Esse parque é belíssimo | Esse homem é mais que humilde, é humílimo | Ele é paupérrimo.

Com o superlativo absoluto sintético, o adjetivo não deve vir acompanhado de nenhum advérbio. Por isso, o certo é dizer: Esse problema é facílimo (e não muito facílimo).

Veja outros exemplos:

ágil - agilíssimo.
agradável - agradabilíssimo
amável - amabilíssimo.
antigo - antiquíssimo.
belo - belíssimo.
bom - boníssimo ou ótimo.
claro - claríssimo.
cruel - crudelíssimo.
difícil - dificílimo.
doce - dulcíssimo ou docíssimo.
fácil - facílimo.
feio - feiíssimo.
feliz - felicíssimo.
frágil - fragílimo ou fragilíssimo.
grande - grandíssimo ou grandessíssimo.
humilde - humildíssimo ou humílimo.
legal - legalíssimo.
livre - libérrimo.
magro - magríssimo ou macérrimo.
nobre - nobilíssimo.
perspicaz - perspicacíssimo.
pobre - paupérrimo ou pobríssimo.
sábio - sapientíssimo.
sério - seriíssimo.
simpático - simpaticíssimo.
simples - simplíssimo ou simplicíssimo.
terrível - terribilíssimo.
útil - utilíssimo.
veloz - velocíssimo.
visível - visibilíssimo.
voraz - voracíssimo.

Gostou? Acompanhe nossa página no Facebook!



Leia também:

Tecnologia do Blogger.