Header Ads

Como usar crase


A crase é a fusão da preposição "a" com o artigo definido "a(s)" e com a vogal inicial dos pronomes demonstrativos "aquele(s)", "aquela(s)", "aquilo". Essa fusão é marcada com o acento grave (`). Exemplos:














  • Vou a + a escola = Vou à escola.
  • Refiro-me a + aquele menino = refiro-me àquele menino.
  • Peça informações a + aquela moça = Peça informações àquela moça.
  • Refiro-me a + aquilo que ele disse = Refiro-me àquilo que ele disse.


Obs.: Às vezes, a forma "àquela(s)" é substituída por "à(s)". Exemplo:

  • Nossa seleção é superior àquela que jogou ontem.
  • Nossa seleção é superior à que jogou ontem.

Crase da preposição "A" com o artigo definido "A(s)"



a+a = à / a+as = às

Como vimos, só pode ocorrer esse tipo de crase quando uma palavra exigir a preposição "a" e a palavra seguinte for antecedida do artigo definido feminino "a(s)". Não havendo a presença de um desses elementos, não ocorrerá a crase. Exemplos:
  • A poluição do ar é prejudicial à saúde.
  • Entregue às meninas esse presente.


Para saber se ocorre ou não a crase, podemos aplicar uma regra muito simples: substituímos a palavra antes da qual aparece "a" ou "as" por uma palavra masculina. Se usarmos "ao" ou "aos" é porque há crase e o acento grave deve ser usado. Veja um exemplo:



Na frase "Ele se dedica a literatura", ocorre crase ou não?



Apliquemos a regra e usemos uma palavra masculina - tênis - no lugar de "literatura": Ele se dedica ao tênis.

Ouso de "ao"é obrigatório; logo, devemos escrever: Ele se dedica à música".

Veja outro exemplo:

Em "Ele observou a cena", ocorre crase ou não?

Aplicando a regra: Ele observou o fato. Não se deve usar "ao"; logo, não ocorre a crase: Ele observou a cena.

Com pronome relativo "Qual"

Para saber se ocorre crase antes do pronome relativo "qual", substitua a palavra a que ele se refere por outra masculina. Se você usar "ao qual", então deve-se usar "à qual", com o acento da crase. Vejamos esta frase, por exemplo: "Esta é a escritora ... qual se referiu o jornalista". Como devemos preencher a lacuna? Com "à" ou "a"?
Vamos substituir a palavra "escritora" por "escritor". A frase correta seria: Este é o escritor ao qual se referiu o jornalista". Se devemos usar "ao qual" é porque, no feminino, ocorre a crase. Logo, a primeira frase deve ser: Esta é a escritora à qual se referiu o jornalista.
Esse mesmo raciocínio vale para a forma plural (quais).

Não se usa o acento grave no "A"
  1. Antes de palavras masculinas: Fui a pé até o cinema / Compramos a máquina a prazo / Pude ver muitas estrelas a olho nu.
  2. Antes de verbos: Estamos decididos a fazer essa viagem / A partir de amanhã, ninguém poderá usar esta sala.
  3. Entre palavra iguais: Eles se encontraram cara a cara / Trabalhou de sol a sol / Ganhou a corrida de ponta a ponta.
  4. Antes dos pronomes pessoais: Dirijo-me a ti / Essa conversa não interessa a ela.
  5. Antes dos pronomes de tratamento: Peço a Vossa Senhoria esse favor (Obs.: As únicas exceções são os pronomes "senhora" e "senhorita": Peça licença à senhora / Não sei o que ele respondeu à senhorita).
  6. Antes dos pronomes demonstrativos "esta(s)", "essa(s)": Dê o presente a esta menina.
  7. Antes de alguns pronomes indefinidos, como "nenhuma", "certa", "toda", "ninguém", "alguém", "cada": Ele não se dedica a nenhuma forma de arte.
  8. Antes de "Nossa Senhora" e de nomes de santas: Apelamos a Nossa Senhora / Fizemos várias promessas a Santa Bárbara.
  9. Quando ele for seguido de uma palavra no plural: Ele se refere a pessoas famosas / Eles se dedicam a várias atividades esportivas.
Para sua consulta, apresentamos a seguir uma relação de locuções e expressões usuais em que o "A" nunca é acentuado.

A álcool, a bordo, a cântaros, a caráter, a cavalo, a dedo, a esmo, a ferro e fogo, a fundo, a galope, a jato, a lápis, a nado, a olho nu, a par de, a pé, a pino, a ponto de, a postos, a prazo, a princípio, a quatro mãos, a sério, a serviço, a sono solto, a sós, a tiracolo, a vapor, a vela, a zero.
  • Eles estavam a sós.
  • Ele ficou a zero.
  • Viajei a serviço pela empresa.
  • Levei a sério o que ele disse.
  • Estou a par de tudo.
  • Era um avião a jato.
  • Escreveu o bilhete a lápis.
  • A música foi executada a quatro mãos.
  • Examinou a questão a fundo.
  • Os candidatos foram escolhidos a dedo.
  • Vestiu-se a caráter para a festa.
  • Chovia a cântaros.
  • Havia três pessoas a bordo.
  • Comprei um carro a álcool.
Sempre se usa o acento grave
  1. Na expressão de horas: Saímos às duas horas / Chegamos à meia-noite / O avião partirá à zero hora.
  2. Nas locuções adverbiais, prepositivas e conjuntivas femininas, tais como: à tarde, à noite, à direita, à esquerda, às vezes, às pressas, à frente de, à medida que, à proporção que, à maneira de etc.
Para sua consulta, apresentamos a seguir uma relação de locuções e expressões em que o acento indicativo da crase sempre deve ser usado. Em alguns acasos, não se trata efetivamente de crase, mas o acento é usado para dar mais clareza à frase.

À baila, à base de, à beça, à beira-mar, à caça, à cata de, à chave, à custa de, à direita, à deriva, à disposição, à espera de, à espreita, à esquerda, à exceção de, à faca, à flor da pele, à luz, à mão, à máquina, à margem, à medida que, à meia-noite, à mercê, à mesa, à milanesa, à mostra, à paisana, à primeira vista, à procura de, à risca, às cegas, às claras, às escondidas, às mil maravilhas, às moscas, à solta, às ordens, às pressas, à tarde, à testa, à tinta, à venda, à vista, à vontade, à zero hora.
  • Ele ficou à vontade na minha casa.
  • Escrevi o bilhete à tinta.
  • Chegamos à tarde.
  • Ele estava à testa da empresa.
  • O cinema esta às moscas.
  • Estou às ordens.
  • Ele agiu às claras.
  • Andou às cegas pelas ruas.
  • Segui à risca suas instruções.
  • O policial estava à paisana.
  • O barco estava à mercê das ondas.
  • Fiz o trabalho à mão.
  • O barco estava à deriva.
  • Eu me diverti à beça.
  • Ele trouxe o assunto à baila.
Atenção com estes casos!
  1. Pode haver crase diante de palavra masculina quando uma palavra feminina estiver subentendida antes dela, como neste exemplo: A entrevista foi dada à Bandeirantes (Isto é, à rede Bandeirantes).
  2. É facultativo o uso do acento antes dos pronomes possessivos e antes de nomes próprios femininos: Desejo felicidades à (a) sua irmã / Desejo felicidades à (a) Renata.
  3. Não ocorre crase antes da palavra "casa" quando ela se refere ao próprio lar, ao lugar onde se mora: Voltamos tarde a casa. Veja que, nesse caso, podemos dizer "voltamos tarde para casa", sem artigo. Nos outros casos, ocorre a crase: Voltei à casa onde passei a infância. Observe que, nessa frase, podemos dizer "voltei para a casa onde passei a infância", com o uso do artigo.
  4. Não ocorre crase antes da palavra "terra" quando ela significa "terra firme", em oposição a "mar": Os marinheiros voltaram a terra. Observe que, usada nesse sentido, a palavra "terra" sempre se usa sem artigo: Os marinheiros estiveram em terra por duas horas / Viajamos por terra durante alguns dias. Nos outros casos, ocorre a crase: Voltei à terra natal / Regressei à terra de meus pais.
IR A OU IR À

Com relação ao verbo "ir" e outros verbos de movimento que pedem a preposição "a" (dirigir-se a, viajar a, transportar a, levar a etc.), podemos aplicar uma regra para saber se ocorre a crase ou não. Basta substituir o "a" pela preposição "para". Se o artigo for necessário, é sinal de que ocorreu a crase. Considere, por exemplo, a frase: "Fui ... Itália". Devemos usar "a" ou "à"? Para saber, vamos aplicar a regra e substituir o "a" por "para": "Fui para a Itália". Veja que é obrigatório o uso do artigo "a"; logo, há crase e o "a" deve ser acentuado: Fui à Itália.
Vejamos outro exemplo: "Fui a Campinas". Aplicando a regra, temos: "Fui para Campinas". O artigo é dispensável; logo, não há crase e o "a" não deve ser acentuado: Fui a Campinas.
Há outra dica que você pode aplicar nesses casos, usando o verbo "voltar". Se você disser "voltei de" é porque não ocorre crase. Se disser "voltei da" é porque ocorre crase. Veja esta frase: "Fui ... Curitiba". Devemos escrever "a" ou "à"? Usando o verbo "voltar", dizemos: "Voltei de Curitiba". Portanto, não ocorre crase (pois não há artigo). Logo, a frase correta é: Fui a Curitiba.
Outro exemplo: "Fui ... França". Devemos escrever "a" ou "à"? Usando o verbo "voltar", dizemos: "Voltei da França". Portanto, ocorre crase. Logo, a frase correta é: Fui à França. 
Obs.: Se o nome do lugar vier modificado ou qualificado, ocorre crase porque o artigo estará presente: Fui à Curitiba de minha infância / Fui à Lisboa dos poetas. Observe que, nesses casos, podemos dizer: Fui para a Curitiba de minha infância / Fui para a Lisboa dos poetas.


Fonte: TUFANO, Douglas. Michaelis: Português Fácil - Tira-dúvidas de redação. São Paulo: Editora Melhoramentos, 2010.

Gostou? Acompanhe nossa página no Facebook!



Leia também:

Tecnologia do Blogger.