Header Ads

Os 5 segredos da redação nota 1000


O que separa um estudante que tira uma nota 800 na redação do Enem de um que alcança uma nota 1000? Todos os anos, entre milhões e milhões de redações apenas algumas poucas dezenas atingem a nota 1000 no Enem. Muitas vezes o candidato se prepara da maneira correta, estuda a estrutura técnica de uma redação (criação da introdução, desenvolvimento e conclusão), toma cuidado para não cometer deslizes gramaticais etc., e, mesmo assim, acaba passando longe da tão sonhada nota máxima.


Isso acontece justamente porque pouquíssimas pessoas detêm conhecimentos de técnicas e estratégias específicas para construções de suas redações. E alguns desses "segredos" apresento a seguir:



Fazer alusões históricas

É indispensável a inclusão de uma alusão histórica em uma redação se você desejar alcançar a nota máxima. Cite um acontecimento histórico importante e a partir dele faça comparações entre o passado e o presente, e também quais atitudes precisam ser tomadas para que não venha a acontecer novamente no futuro. Esta técnica dá muito mais credibilidade aos seus argumentos.

Utilizar elementos de coesão 

São elementos obrigatórios para uma redação-modelo no Enem, mas muitos acabam se esquecendo de usá-los. Comece a incluí-los nas suas redações a partir de hoje e irá perceber que seus textos se desenvolverão com muito mais fluidez. Já postei um texto em que falo um pouco sobre elementos de coesão que você pode ler clicando AQUI.

Escrever uma conclusão detalhada 

Me arrisco a dizer que a conclusão é a parte mais importante da redação, pelo menos no Enem. Você não apenas deve incluir uma proposta de intervenção, mas deve fazer isto de forma bem detalhada. A proposta de intervenção deve envolver no mínimo dois setores diferentes da nossa sociedade e do poder público (ex.: polícia civil, vereadores, famílias, ONGs etc.) e explicar qual deve ser o papel de cada um deles na resolução do impasse.

Incluir citações filosóficas 

Não é elemento obrigatório, porém agrega riqueza ao seu texto. Citar um filósofo célebre ou um estudioso no tema dá muita credibilidade aos seus argumentos, assim como as alusões históricas. Além disso, transparece que você tem conhecimentos que vão além dos que estão presentes nos textos de apoio. Também já escrevi um artigo específico sobre esta técnica que você pode ler clicando AQUI.

Praticar 

Parece óbvio, mas muitos menosprezam e não dão devido valor para esta última técnica. A prática não faz com que você apenas desenvolva suas habilidades na construção de redações, como as citadas nos itens anteriores, mas também envolve um ponto crítico que atrapalha muitos candidatos: o tempo. Pense comigo: no segundo dia de provas (domingo) é quando ocorre a redação. Além da redação, você fará a prova de matemática e a de linguagens, com 45 questões cada. Neste dia, a duração máxima para conclusão dos testes é de cinco horas e meia. Fazendo os cálculos, supondo que você irá levar entre 2 e 4 minutos para resolver cada questão de matemática e de linguagens, restará apenas cerca de uma hora para redigir sua redação. Eu quero saber quem aí possui o dom de ler todos os textos de apoio, refletir a respeito deles, planejar seus argumentos, escrever o rascunho, reler o rascunho várias vezes e corrigir os possíveis erros e, por fim, passar a limpo o texto na folha oficial de redação, tudo isso em apenas uma hora? Difícil, não é? Por isso a prática é algo tão importante, com ela você vai aprender a administrar seu tempo e ter um aproveitamento muito maior.

Gostou? Acompanhe nossa página no Facebook!



Leia também:

Tecnologia do Blogger.